22 de ago de 2008

Aline nos anos 50, 60, 70, 80, 90 e 2000

No site Yearbook Yourself você coloca uma foto sua, nos dias de hoje, e ele transforma seu visual para a moda dos anos 50, 60, 70, 80, 90 e 2000! Todos estávamos com saudade de fazer modificações com as fotos da nosso modelo Aline e, nesta oportunidade, vamos conhecer os bastidores da história deste ícone!

Em 1952, Aline sai do interior do Mato Grosso do Sul onde passou toda sua infância e juventude ajudando os pais e os 19 irmãos mais novos. Trabalhou colhendo maçãs e, eventualmente, ganhava um dinheiro extra posando para retratos que ficavam expostos nos postos de coleta de ferradura de cavalos.
Em 1958, Aline entra na faculdade de letras na PUC do Rio de Janeiro e conhece Edwando, o primeiro amor de sua vida.
Em 1960, Aline larga a faculdade para casar com Wilsomar depois de uma grande desilusão amorosa com Edwando.
Em 1962, Aline é a primeira mulher a se divorciar e a pousar nua para uma revista de foto-novela.
Em 1966, Aline tenta carreira de atriz, mas é obrigada a largar tudo depois que é presa e torturada por policiais do regime militar.
Em 1970, Aline, que já tinha namorado todos os machos da alta sociedade carioca, ingressa na carreira militar por ordem de seu pai. Neste ano Aline tem seu primeiro filho, mas não sabe dizer até hoje quem é o pai...
Em 1974, Aline F, drogada e prostituída lança um livro de contos eróticos.
Em 1978, Aline passa a ser conhecida como Rainha da disco music ao lançar um LP.
Em 1984, Aline casa-se novamente, desta vez com um jogador de futebol argentino. Eles se mudam para o México e nasce o segundo filho.Em 1994, Aline é a personagem principal de uma novela Mexicana chamada Xispita.
Em 1996, Aline volta ao Brasil para fazer testes para ser apresentadora de um programa infantil.
Em 2000, Aline faz 43 plásticas e sai na Playboy...
Hoje, disfarçada de reporter, Aline vive escondida em uma cidadezinha no interior do RS, namora uma mulher e não sabe o paradeiro dos filhos.

7 comentários:

Cíntia Rosângela disse...

Acho que vi tal moça outra dia na rodoviária de Não-me-toque vendendo balas de goma e vestida de camponesa erótica...

Jac Oliveira disse...

hauahuahauhaahuahuahauhauahauahuahauaahauahauhauahuahauhauahuaha

a disco foi a melhor!

e bah, disfarçada de repórter? eu não deixava assim hein...

jhulyjohns disse...

Cíntia, acho que realmente era a Aline em Não-me-toque porque fiquei sabendo que ela morou lá um tempo. Conheceu um caminhoneiro em Don Pedrito jogando sinuca em um boteco de beira de estrada e os dois construíram um puxadinho na casa da sogra...

jhulyjohns disse...

Jac, porque você acha que ela sempre chega de mal humor no trabalho de manhã? Porque ainda faz uns bico de Disco-Queen em uma boate gay aqui em São Leopoldo....

Afrodite disse...

kkkkkkkkk
me acabei de rir com cada uma das versãoes...
Tu és demais Jhuly!

Afrodite disse...

*versões...foi mal!
kkkkkkk

Anônimo disse...

meu nome e ninho e a Aline é a minha tia rss... e verdade mo mina do mal...rss