26 de fev de 2008

Seja um otário!

Você já parou para pensar que só os otários, babaca, pau-no-cu, filha-da-puta, se dão bem? Dá uma olhada no Jornal Nacional hoje que você vai ver vários exemplos: o político de merda que desviou milhões de reais vai ficar mal falado uns dias, depois todo mundo esquece e ele volta para a mansão em Fernando de Noronha; o metalúrgico que cortou o próprio dedo para não ter que trabalhar e ganhar pensão no INSS, agora é presidente; a mulher que jogou a filha do lixo agora é a coitadinha; aquele que espancou e humilhou uma empregada doméstica, hoje trabalha num dos maiores escritórios do país ganhando vinte vezes mais do que eu ganho; o padre que abusou de várias crianças vai levar apenas uma advertência verbal enquanto os homossexuais trabalhadores, casados e honestos estão sendo mortos; aquele que apoiou o Hittler na matança de judeus, hoje é o papa que usa anel de ouro e sapato Prada.

Sempre tentei fazer tudo certo e ser a melhor pessoa possível. Não fui a melhor da escola, mas nunca rodei nem um ano. Não sei falar chinês, mas me viro muito bem com o inglês, o espanhol, o italiano e até um pouco de alemão. Não sou milionária, mas nunca deixei de pagar minhas contas e, as vezes, até contas dos outros. Não fico de beijos e abraços com meus pais, mas sempre respeitei e admirei a eles. Sou uma menina que namora outra menina, mas pelo menos ela é a melhor menina de todas! Ela é inteligente, estuda, trabalha, me faz rir, me apóia e sempre me faz sentir especial! Quantos mulheres você escuta falar assim dos maridos depois de oito anos juntos? Namorar uma menina me faz menos eficiente em uma das várias empresas para qual trabalho? Que diferença faz para as outras pessoas a boca que EU beijo?

Bom, não quero entrar em orientação sexual. Quero falar é de ser otário! Porque para você se dar bem na vida, não interessa se você é hétero ou viado, feminina ou macha. Para se dar bem na vida tem que ser otário! Você tem que ser um cafajeste, cara-de-pau descarado, mentiroso. Pelo menos esses são os exemplos que eu tenho hoje. Pessoas que vivem bem perto de mim são assim: quando estão com estranhos se fazem de queridos, simpáticos, amorosos... Viram as costas e se pode ver o elástico da máscara arrebentando. São essas pessoas que eu conheço que hoje são as mais admiradas, as mais bem sucedidas, bem casadas, ricas. Poderia falar que a consciência dessas pessoas deve pesar, que deve ser difícil dormir de noite, mas pela manhã elas são sempre as mais bem humoradas, cheias de disposição e irritabilidade moral!

Quando eu crescer eu quero ser assim: OTÁRIO!

(Desculpa o desabafo, mas o blog se tornou uma espécie de saco de pancadas onde desconto minha raiva, hehehehe)

Nenhum comentário: